Você está em: AATD H300 Advanced Aviation Training Device – AATD H300  
   
mais detalhes AATD H300 Advanced Aviation Training Device – AATD H300

O AATD H300 é um Simulador de Voo de Helicóptero Schweizer H300, aprovado pela ANAC, para treinamento de vôos VFR/IFR. Construído sobre uma plataforma reproduzindo a cabine com console, sistemas de controles (comandos), manetes, botões, switches, painel de instrumentos, chaves com as características originais da aeronave, isto tudo ajuda o piloto na familiarização, sensibilidade e o correto manuseio em voo.

O funcionamento do simulador decorre de uma complexa combinação de processos mecânicos, com a utilização de sistemas, micros servo-elétricos, sons associados às informações geradas por computadores que criam uma situação virtual do vôo com cenários, reações e sensações psicofísicas.

Os comandos (duplo): cíclico, coletivo, pedais e manetes possuem complexos mecanismos que proporcionam a sensação e sensibilidade correspondente ao vôo normal do helicóptero, inclusive as situações de panes e emergências.

Além dos recursos normais exigidos para um dispositivo de treino, o AATD H300 conta um sistema nativo da BRAVIO, o Electronic Map Display System - MD102-MAP, produto aeronáutico certificado, com o banco de dados do Rotaer e AIP (cartas: vôo visual, rotas, subida/descida, especiais, procedimentos, etc.) grava todos os procedimentos e parâmetros de voo e, opcionalmente, pode ser utilizado para o planejamento e navegação, consultar e baixar informações meteorológicas (Metar, Sigmet), Notans, aferir e corrigir os procedimentos durante as fases da instrução. Os voos podem ser reproduzidos e o aluno pode avaliar o seu próprio desempenho posteriormente.


mais detalhes Cenários Gráficos / Geração de Imagens

Os cenários gráficos criados por nossa equipe é projetado em uma tela especial apresenta alta fidelidade. Isto permite treinar os alunos em diversas situações e ambientes de operação. Softwares com um sistema de geração de imagens, de alta resolução, com canais de projeção com dados reais do terreno (elevações topográficas) mostram em telas especiais um cenário de voo e com grande campo de visão. A integração destas informações, combinadas com imagens de satélite e fenômenos do tempo forma um mundo virtual muito próximo da realidade.

Uma base de dados mundial contém todos os aeroportos e oficinas. Para o Brasil, a base de dados é baseada em um modelo de terreno muito detalhado que inclui aeroportos, aeródromos, helipontos e pontos de notificação listados no ROTAER e AIP.


mais detalhes Programa de Treinamento

O Programa de Treinamento VFR/IFR foi criado com base nos Manuais de Cursos da ANAC e programa de instrução da Força Aérea Brasileira - FAB.
No treinamento, o aluno/piloto é submetido a situações que, por questões de riscos, jamais poderá treinar durante um voo real. .


mais detalhes Estação de Instrutor

A Estação do Instrutor grava o voo e o instrutor acompanha na tela o desempenho do aluno. Com os recursos de fonia, pode, a qualquer momento, interceder, orientar e cobrar procedimentos, ativar revoada de pássaros, adicionar tráfego de outras aeronaves, variar condições climáticas, gerar panes e criar situações que induzam o aluno a se sentir como se estivesse em voo real.


mais detalhes Operação em Rede

Se conectado a uma rede de internet banda larga e com a opção “condição meteorológica” ativada, as mudanças são feitas automaticamente, o período dia/noite e, baseado nas informações climáticas (temperatura, pressão, umidade relativa do ar e vento) disponíveis na rede, da região voada, o sistema cria cenários com condições de tempo: visibilidade, formação de nuvens, vento e/ou chuva, correspondente ao tempo real.

Nas redes virtuais, é possível realizar voos sob coordenação do “controle de tráfego”, falando com pilotos de outras “aeronaves”. Com dois ou mais simuladores é possível realizar treinamento de vôos de formação com as aeronaves visualizando e falando entre si e com o controle.


mais detalhes Registro de horas

As horas voadas nos Simuladores de Voo são contabilizadas (Regulamento Brasileiro de Aviação Civil - RBAC 61) para efeito de obtenção das licenças de Piloto Privado de Helicóptero – PPH (Subparte D, 61.81, (a) (2) (D)), Piloto Comercial de Helicóptero – PCH (Subparte E, 61.101, (a) (2) (B)), nas habilitações em Voo Por Instrumento - IFR (Subparte L, 61.223, (a)(6)(ii)), de Piloto de Linha Aérea de Helicóptero – PLAH (Subparte G, 61.141, (2) (i) (C)) e comprovação de Experiência Recente em IFR (Subparte A, 61.21, (b) (1) e (2)), sendo possível realizar o Exame de Proficiência (recheque) IFR nos dispositivos.


Voltarvoltar